Filosofia: o Método de René Descartes

O “Discurso do Método” foi a obra em que Descartes lançou as bases do pensamento que viria modificar toda a história da filosofia. Alguns anos depois suas ideias foram retomadas nas “Meditações”. O filósofo estava disposto a encontrar uma base sólida para servir de alicerce a todo conhecimento. Na época, a filosofia não se distinguia das outras ciências e o livro deveria ser uma introdução para três escritos científicos, voltados para a meteorologia, a geometria, e o estudo do corpo humano


 

 O Método cartesiano, criado por René Descartes, consiste no Ceticismo Metodológico – duvida-se de cada ideia que pode ser duvidada. Descartes institui a dúvida: só se pode dizer que existe aquilo que possa ser provado. O próprio Descartes consegue provar a existência do próprio eu (que duvida, portanto, é sujeito de algo – cogito ergo sum: penso, logo existo), considerando o ato de duvidar como indubitável.

Também consiste o método na realização de quatro tarefas básicas: 

  • verificar se existem evidências reais e indubitáveis acerca do fenómeno ou coisa estudada;
  • analisar, ou seja, dividir ao máximo as coisas, em suas unidades de composição, fundamentais, e estudar essas coisas mais simples que aparecem;
  • sintetizar, ou seja, agrupar novamente as unidades estudadas em um todo verdadeiro; e
  • enumerar todas as conclusões e princípios utilizados, a fim de manter a ordem do pensamento

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Filosofia: o Método de René Descartes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s